Parceira beneficia seringueiros de unidades estaduais em Rondônia


Com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico e social das comunidades extrativistas de unidades estaduais de Rondônia foi assinado na última seman, 30/07, termo de cooperação entre a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) e o Serviço de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (Sebrae). A parceria vai trabalhar com projetos de manejo florestal não madeireiros, como extração de óleo de copaíba, castanha, borracha, açaí, entre outros. As reservas de Castanheira e Massaranduba, localizadas em Machadinho D’Oeste, vão ser as primeiras a receber o apoio dos órgãos. O investimento nas reservas extrativistas será de aproximadamente R$ 100 mil reais que beneficiará aproximadamente 30 famílias (15 em cada Resex).


Segundo o secretário de ambiente do estado , Cletho Brito, a parceria visa também proteger as florestas e mostrar para a sociedade que é possível desenvolver sem derrubar. “Essa iniciativa vai mostrar como o desenvolvimento pode acontecer sem derrubar árvores e irá fazer as pessoas protegerem a floresta, pois desta forma vão estar intimamente ligadas”


Para o superintendente do Sebrae/RO, Pedro Teixeira, o termo de cooperação é uma continuidade as ações da agência com as comunidades extrativistas. “Já temos um trabalho nas reservas de Machadinho D’Oeste e Vale do Anarí, conhecido como ‘Projeto Estruturante de produtos florestais não madeireiros’, onde se trabalha com os produtos de uma floresta em pé, hoje o que esta sendo feito é um convênio para gerar emprego e renda aos povos da floresta”. De acordo ainda com Pedro Teixeira, As universidade e instituições da Amazônia estarão interagindo com as comunidades para desenvolver melhores tecnologias de extração e comercialização. “As universidades e escolas tecnológicas irão atuar como ferramentas de estudos amazônicos para estruturar a atividade e agregar valor ao produto da reserva”.


O presidente da Organização dos Seringueiros de Rondônia (OSR), Osvaldo de Oliveira disse que a ação vai dar apoio aos moradores da reserva a comercializar seus produtos sem passar pelas mãos dos atravessadores. “A ajuda será importante para nós capacitarmos a comercializar nossos produtos porque o grande problema hoje é que não temos muitas alternativas na hora de vender, aí sempre caímos nas mãos dos atravessadores”.

0 comentários:

Postar um comentário

mais buscados

leia em outros idiomas




Seguidores

Comentários recentes

Participe

vc online