Órgãos estudam aves em aeroporto de Porto Velho

foto: Vespo.blogspot

Para evitar acidentes aéreos com urubus em Porto Velho, órgãos ambientais e Infraero estudam meios para evitar a presença dos animais em área aeroportuária. O levantamento técnico está sendo realizado ‘in loco’ para encontrar as áreas e os pontos atrativos das aves.



Desde o inicio do estudo, que já dura 6 meses, foram encontrados 24 pontos, dos quais cinco são considerados críticos.


Os pontos críticos são: a 150 metros da pista de pouso do aeroporto onde foi retirado à areia e se transformou em ‘lagoa’ para os animais, a região de um frigorífico que está a cerca de 1.250 metros do centro da pista do Aeroporto em qual foi encontrado dejetos e restos industriais jogados nas proximidades, o igarapé localizado no bairro Costa e Silva tomado por lixo sendo considerado atrativo para os urubus, na mesma situação está o igarapé do bairro Nacional que virou esgoto a céu aberto e a região da estrada da Penal próximo a colônia penal onde se encontrou um deposito de restos bovinos (neste lugar foram encontrados aproximadamente 300 urubus).


Segundo a bióloga Marli Lustosa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), o levantamento é feito com sobrevôo da área no entorno do aeroporto Internacional de Porto Velho, dados fotográficos para identificação dos pontos de maior incidência de aves, estimativa dos quantitativos nos vários locais de aglomeração de aves, identificar as espécies de aves e a altura aproximada da aglomeração das aves.


O plano de ação de retirada das aves vai acabar com os pontos atrativos que estão no raio da pista dos aviões. O relatório final dos estudos será apresentado no dia 8 de maio e a partir destes dados os órgãos começam a agir.

0 comentários:

Postar um comentário

mais buscados

leia em outros idiomas




Seguidores

Comentários recentes

Participe

vc online